Acupuntura

Quais os riscos associados à Acupuntura?

A Acupuntura é uma terapia médica complementar alternativa, praticada há milênios na Ásia, que vem ganhando popularidade crescente nos países ocidentais para o tratamento de diversas condições de saúde.

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) focada, nesse momento, na Acupuntura, baseia-se na inserção de agulhas em pontos específicos do corpo (os acupontos) para promover a regulação própria do fluxo de energia em um indivíduo.

A MTC sugere que a puntura deve ser realizada de modo a trazer a sensação de ardor, dormência, peso ou inchaço da região punturada e muitos acupunturistas e pacientes acham que sensações mais intensas de agulhamento podem levar a melhores resultados terapêuticos, mas manipulação excessivamente violenta também pode causar acidentes.

Os seres humanos e todos os outros animais, tem em sua anatomia mais do que apenas canais energéticos. Apresentam ainda vasos, nervos e órgãos (maciços ou ocos) abaixo desses acupontos. Por melhor que seja a técnica, quando da escolha dos pontos, método de estimulação das agulhas, ou mesmo número de agulhas, se, do tratamento acupuntural resultar em uma complicação potencial, há uma redução muito grande ou até uma inversão do benefício do tratamento para o paciente.

Mesmo sendo uma prática muito segura, complicações como infecção, hemorragia, hematoma, pneumotórax, lesão neurológica e tamponamento cardíaco são descritos, sendo o pneumotórax o evento adverso mais comum.

O conhecimento dos riscos associados à pratica de acupuntura pode fomentar a busca pela prevenção e compreensão desses facilitando o reconhecimento de possíveis complicações e levando a maiores chances de resolução ou direcionamento precoce quando da identificação de um caso minimizando os danos para os pacientes.

A acupuntura pode ser aplicada em pacientes de todas as idades, sexos e etnias, desde que respeitadas as características individuais de cada um. Aqueles que se apresentam com fome, sede, alcoolizados, nervosos, gestantes, muito idosos, consumidos ou com discrasias sanguíneas necessitam de cuidados especiais. 

Consumir alimentos, ingerir água, repousar por, pelo menos, 30 minutos e acalmar-se antes da sessão são algumas das recomendações dos autores. Outras recomendações que podem ser citadas são: evitar pontos de alto risco relativas a etapas específicas da vida (como nas gestantes), evitar estimulação muito vigorosa e colher uma anamnese o mais completa possível antes de realizar a puntura.

Essa é uma terapia segura e eficaz, desde que sejam tomados todos os cuidados quanto às normas de biossegurança, técnica de inserção da agulha e conhecimento a respeito da anatomia topográfica, prevenindo, assim, eventuais riscos durante a sua prática, tanto no que diz respeito aos microorganismos, quanto aos acidentes e complicações.

A maior parte das complicações poderiam ser minimizadas se na prática da acupuntura fossem utilizados materiais devidamente esterelizados e ela fosse realizada por profissionais devidamente capacitados.

Além do conhecimento sobre os acupontos do praticante e dos seus benefícios terapêuticos, um conhecimento preciso da anatomia, fisiologia e das complicações associadas a uma agulha mal colocada ou posicionada são essenciais para um cuidado compreensivo.

Procure um profissional em quem possa confiar!

Quer saber mais? Mande-nos uma mensagem.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Brogan, R. J., & Mushtaq, F. (2015). Acupuncture-induced pneumothorax: the hidden complication. Scottish Medical Journal, 60(2). https://doi.org/10.1177/0036933014565587

  1. Chung, K. F., Yeung, W. F., Kwok, C. W., & Yu, Y. M. (2014). Risk factors associated with adverse events of acupuncture: A prospective study. Acupuncture in Medicine, 32(6). https://doi.org/10.1136/acupmed-2014-010635
  2. Chun, K. J., Lee, S. G., Son, B. S., & Kim, D. H. (2014). Life-threatening cardiac tamponade: A rare complication of acupuncture. Journal of Cardiothoracic Surgery, 9(1). https://doi.org/10.1186/1749-8090-9-61
  3. Conway, N., & Sreenivasan, S. (2014). The acupunctured lung. American Journal of Emergency Medicine, 32(1). https://doi.org/10.1016/j.ajem.2013.08.026
  4. Cummings, M., Ross-Marrs, R., & Gerwin, R. (2014). Pneumothorax Complication of Deep Dry Needling Demonstration. Acupuncture in Medicine, 32(6). https://doi.org/10.1136/acupmed-2014-010659
  5. Hampton, D. A., Kaneko, R. T., Simeon, E., Moren, A., Rowell, S., & Watters, J. M. (2014). Acupuncture-Related Pneumothorax. Medical Acupuncture, 26(4). https://doi.org/10.1089/acu.2013.1022
  6. Karavis, M. Y., Argyra, E., Segredos, V., Yiallouroy, A., Giokas, G., & Theodosopoulos, T. (2015). Acupuncture-induced haemothorax: A rare iatrogenic complication of acupuncture. Acupuncture in Medicine, 33(3). https://doi.org/10.1136/acupmed-2014-010700
  7. Lee, S. W., Ahn, J. Y., Choi, W. J., Kim, E. J., Bae, S. H., Choi, Y. S., … Kim, J. H. (2014). A needle penetrating the stomach cavity after acupuncture. Clinical Endoscopy, 47(3). https://doi.org/10.5946/ce.2014.47.3.258
  8. Martins Da Encarnac¸ão, A. P., Teixeira, J. N., Cruz, J. L., & Oliveira, J. E. (2014). Pneumothorax sustained during acupuncture training: A case report. Acupuncture in Medicine, 32(6). https://doi.org/10.1136/acupmed-2014-010642
  9. Ritter, H. G., & Tarala, R. (1978). Pneumothorax after acupuncture. British Medical Journal, 2(6137). https://doi.org/10.1136/bmj.2.6137.602-a
  10. Robinson, A., Lind, C. R. P., Smith, R. J., & Kodali, V. (2016). Atlanto-axial infection after acupuncture. Acupuncture in Medicine, 34(2). https://doi.org/10.1136/acupmed-2015-212110rep
  11. Scharf, M. L., & Kommuri, A. (2015). Delayed recognition of an uncommon cause of iatrogenic pneumothorax. Journal of Bronchology and Interventional Pulmonology, 22(2). https://doi.org/10.1097/LBR.0000000000000149
  12. Tan, K. Q. W., & Asmat, A. (2014). Haemopneumothorax Related to Acupuncture. Acupuncture in Medicine, 32(3). https://doi.org/10.1136/acupmed-2014-010542
  13. Verástegui, C. (2016). The safety of obstetric acupuncture: Forbidden points revisited. Revista Internacional de Acupuntura, 10(1). https://doi.org/10.1016/j.acu.2016.02.001
  14. Wu, J., Hu, Y., Zhu, Y., Yin, P., Litscher, G., & Xu, S. (2015). Systematic Review of Adverse Effects: A Further Step towards Modernization of Acupuncture in China. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, Vol. 2015. https://doi.org/10.1155/2015/432467

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp